Language | Idioma

English Spain

RESENHA | Festival Planeta Brasil 2017

Fãs lotam a Esplanada do Mineirão e curtem doze horas de música no Planeta Brasil



O estádio Mineirão, conhe­cido por ser palco de grandes eventos esportivos, dessa vez deu lugar à música, onde, no último sábado (28), a sua es­planada ficou completamente lotada. Nem mesmo o forte calor fez com que as mais 30 mil pessoas arredassem o pé do festival Planeta Brasil.

Com grandes atrações mu­sicais em seu line-up, o festival teve, talvez, sua mais bem sucedida edição, pois soube mesclar muito bem os estilos – rock, pop, reggae, rap e até surf music – e fazer um evento cada vez mais eclético


AnaVitória tocaram no Palco Sul do Planeta Brasil | Foto: Pedro Gianelli
.

PROJOTA

O rapper paulista subiu no Palco Sul logo depois de AnaVitória e conseguiu ser, talvez, o show mais animado do festival, onde até mesmo as pessoas que estavam no Palco Norte foram para conferir de perto o show arrebatador do rapper.

Durante o show, Projota fez uma bela homenagem a Cho­rão (ex-vocalista do Charlie Brown Jr., falecido em 2013). “O cara é uma influência para uma geração inteira, eu tive a oportunidade de acompanhar de perto toda a carreira do Charlie Brown, desde o início. Tive a oportunidade de conhe­cer o Chorão uma semana an­tes de ele falecer, foi um baque muito grande, mas, ao mesmo tempo, fico muito agradecido de ter conhecido ele e ter trocado algumas ideias com ele”, disse o rapper durante entrevista coletiva.


O rapper Projota agitou as 30 mil pessoas que estavam no festival | Foto: Pedro Gianelli

Durante o seu show, a pla­teia se enlouqueceu durante todas as músicas, mas as que tiveram um ápice, sem dúvi­das, foram os hits ‘Ela Só Quer Paz’ e ‘Rezadeira’, sobre essa última, Projota explica como aconteceu a composição: “eu tenho um amigo, que pagou por seus crimes por duas ve­zes na cadeia, e a mãe dele era uma evangélica fervorosa, eu já fui evangélico e tenho esse carinho especial por essa religião, então, ela foi muito importante nesse momento que esse amigo estava pas­sando. Eu e ela ficamos muito próximos por causa disso e ela adorava conversar comigo sobre esses assuntos, por eu entender também, então fiz a música ‘Rezadeira’ em home­nagem a ela”, contou.



Tiago Iorc foi uma das atrações do Palco Sul do Planeta 

Brasil 2017 | Foto: Pedro Gianelli



RAIMUNDOS


Após a calmaria do show de Tiago Iorc, o rock do Raimun­dos tomou conta do Palco Sul, mesmo com um setlist acústi­co, divulgando o novo show da banda, o Raimundos agitou a galera, que ainda esperavam por Planet Hemp e o america­no Jason Mraz. “Gravamos no fim do ano passado o acústico do Raimundos, que ainda não lançamos, então, esse é como se fosse um ensaio desse novo formato, já em um show gran­de, com telões, grande público e tudo mais”, afirmou o voca­lista do Raimundos, Digão.

A banda Raimundos estreiou o novo formato de show acústico | Foto: Pedro Gianelli
Tocando todos os seus hits durante o show, ainda com um novo formato, o público mi­neiro pulou e cantou durante todo o show do Raimundos. “Tocar em BH é sempre um prazer, consideramos aqui como uma das casas do Rai­mundos, adoramos vir aqui, comer aquela comidinha mi­neira. É sempre uma surpre­sa tocar aqui, porque, geral­mente, tocamos em festivais grandes, com públicos muito grandes”, contou Canisso, baixista da banda.

Mantendo-se sempre no topo do rock nacional, o Rai­mundos ainda atrai público por onde passa e conta que houve uma mudança na cena, “os outros estilos sabem lidar melhor com os meios de divul­gação que temos hoje em dia, o rock não sabe trabalhar muito bem essa parte financeira, de ter que pagar para tocar, o rock meio que vai remando contra a maré, é algo que não fica bom para o estilo. Mas, quando algo acontece, parece mais satisfa­tório e um sucesso mais longo”, afirmou o baixista.


SKANK



Os mineiros da banda Skank fecharam a noite do Festival Planeta Brasil, no Mineirão, que ainda contou com Jason Mraz e Planet Hemp | Fotos: Pedro Gianelli

Um evento épico no Mi­neirão não poderia ter uma banda que melhor encaixasse nas características desejadas do que os mineiros do Skank. Em suas músicas, mesclando o futebol com o pop rock, a banda mineira fechou a noite de sábado agitando o público, que conseguiu achar energia depois de 12 horas de festival. Os mineiros, como sempre, mandaram as músicas que estão na boca da galera desde o início da banda, há 25 anos, como ‘Uma Partida de Fute­bol’, ‘Vou Deixar’, ‘Saideira’, ‘Garota Nacional’ e a clássica ‘Jack Tequila’, encerrando a noite e o festival com a icônica ‘Vamos Fugir’.


Os mineiros da banda Skank fecharam a noite do Festival Planeta Brasil | Fotos: Pedro Gianelli

Anterior
Próximo »
0 Comentar