Language | Idioma

English Spain

ENTREVISTA: JOHN CORABI (MÖTLEY CRÜE)




Como muitos já sabem, o quarteto angeleno, Mötley Crüe (Nikki Sixx, Tommy Lee, Mick Mars e Vince Neil), está em sua turnê de despedida, depois de mais de 35 anos de serviços ao rock n’ roll. Mas o que nem todos sabem, é que, existe uma pessoa extremamente importante nessa história, o vocalista que substituiu Vince Neil em 1993, John Corabi. John entrou na banda quando todos davam como encerrada as atividades do Crüe, e lançou o excelente disco – mas nada vendido – ‘Mötley Crüe’, o EP ‘Quartenary’, e algumas participações em ‘Generation Swine’, logo em seguida Corabi foi “demitido” da banda para a volta de Vince Neil aos vocais.
John lançou recentemente o seu disco solo, ‘John Corabi Unplugged’, e recentemente esteve em turnê com o lendário guitarrista do KISS, Bruce Kulick. Em entrevista exclusiva ao Jornal Gazeta do Oeste, John falou tudo sobre o Mötley Crüe, carreira solo, Brasil, e muito mais.

Pedro Gianelli: John, para alguns fãs, e para Mick Mars e Tommy Lee, o álbum que você gravou com o Mötley Crüe é o melhor álbum do Crüe entre todos. Para você, qual é o melhor?

John Corabi: Todos os álbuns que eu tenho feito têm sido grandes álbuns. Cada um tem sua própria personalidade, cada um era um diário da minha vida naquele momento. Então, é difícil escolher o meu favorito.

P.G.: Um álbum tão pesado, tão bom, mas não vendeu. O que realmente aconteceu com o álbum 'Mötley Crüe'?

J.C.: Infelizmente, a indústria da música estava mudando naquele tempo, e todo mundo estava tentando descobrir onde bandas como Mötley Crüe encaixariam. Acho que o álbum é um grande álbum e estou muito orgulhoso dele, mas não há realmente nada que você possa fazer depois de escrever o álbum, gravá-lo, e em seguida, transformá-lo em realidade.

P.G.: Uma vez você disse que não perdeu apenas um trabalho, mas amigos. Quão difícil foi sair do Mötley Crüe? E como é a sua atual relação com os caras?

J.C.: Eu sou provavelmente o melhor amigo de Mick [Mars], eu não vejo tanto os outros caras, mas quando vemos uns aos outros temos um encontro civilizado (risos).

P.G.: Você vê a 'The Tour Final' como um grande golpe de publicidade ou eles realmente vão se aposentar?

J.C.: Mick me falou que eles definitivamente vão se aposentar, isso não é um golpe publicitário.

P.G.: Nesta turnê, no solo de bateria de Tommy, ele toca 'Hooligan’s Today'. Tem alguma possibilidade de você cantar uma música com o Crüe nesta turnê?

J.C.: Isso NUNCA vai acontecer! (risos)

P.G.: E agora você está em sua carreira solo, um álbum ‘Unplugged’, é difícil para um cantor de Heavy Metal tocar músicas acústicas?

J.C.: Eu realmente não me considero um cantor de heavy metal, eu amo todos os tipos de música, e eu provavelmente já escrevi todas as músicas no violão.

P.G.: Você fez alguns shows com Bruce Kulick, como foi tocar com este lendário guitarrista do KISS?

J.C.: Eu amo Bruce. Ele é um grande guitarrista, um grande amigo e um grande compositor.


P.G.: Você agora está em turnê com seu novo álbum, você já negociou alguns shows no Brasil?

J.C.: Toquei no Brasil cerca de 3 anos atrás, mas não tive a chance de voltar novamente. Espero que eu possa voltar com minha banda e fazer o material do Mötley de 94.

John ainda deixou um recado para todos os fãs brasileiros, confira:

Como eu disse antes, eu gostaria de ir ao Brasil novamente e tocar com a minha banda completa. Meu filho é meu baterista e eu disse para ele muitas coisas maravilhosas sobre o Brasil e as pessoas de lá, por isso estou ansioso para voltar novamente! Esperamos vê-los em breve!
#VamosMusicalizar


Anterior
Próximo »
1 Comentar
avatar

Seria bacana se ele cantasse uma com o Crüe, mas... :(

Balas