Language | Idioma

English Spain

ENTREVISTA: DAVE EVANS (AC/DC)

A banda de Hard Rock australiana, AC/DC, sem sobra de dúvidas é uma das maiores lendas que já existiram na música. A carreira de mais de 40 anos, os grandes hits, shows totalmente esgotados ao redor do mundo, milhões e milhões de discos vendidos, e uma lista enorme de prêmios que ficaríamos falando pelo texto todo. Algo também marcante no AC/DC é o vocal poderoso de Brian Johnson, e a marcante voz de Bon Scott (falecido em 1980), mas você sabe quem foi o primeiro vocalista da banda? Ou melhor, você sabe que ele está no Brasil para uma série de shows?

Seu nome é Dave Evans, é australiano, é considerado o ‘Rei de todos os Bad Asses’, e tem uma belíssima carreira solo. Dave conversou com exclusividade com o #VamosMusicalizar, – via Skype – e falou tudo sobre os shows do Brasil, AC/DC, carreira solo e muito mais.

Pedro Gianelli: Dave, antes de tudo, muito obrigado por esta entrevista. E esta será sua primeira vez no Brasil, o que você espera para esses shows, e o que você está preparando para os fãs brasileiros?

Dave Evans: Bom, eu espero grandes shows, espero que todos estejam bastante animados, estive olhando alguns vídeos do público brasileiro, e amei como eles festejam, estou muito ansioso para isso. E eu tenho uma grande banda comigo, alguns sul-americanos, eu os chamo de ‘Bad Asses Sul-Americanos’ (risos), eles irão detonar junto comigo, terão muito da minha carreira solo e grandes músicas do início do AC/DC, serão grandes shows.

P.G.: E como você disse, você tem alguns títulos interessantes. O primeiro: ‘O primeiro vocalista do AC/DC’, e o mais interessante: ‘O Rei de todos os Bad Asses’. Mas por que deste último?

D.E.: (risos) Eu acho que me deram este título quando eu estava no Texas, você sabe, existem muitos ‘bad asses’ lá. É algo que é relacionado à minha atitude Hard Rock e meu jeito de enfrentá-lo. Acho que é por isso que eu sou o ‘Rei dos Bad Asses’.

P.G.: E falando no outro título, você também é o ‘Primeiro Vocalista do AC/DC’. Mas todos fãs se perguntam, por que você saiu da banda?

D.E.: É uma longa história! Mas um dos principais motivos foi o empresário da banda naquela época. Estávamos fazendo uma turnê por toda a Austrália, tocando em clubes lotados, mas estávamos perdendo dinheiro, é algo estranho quando você toca muito, mas não ganha com isso, pelo contrário, você perde. Então decidi sair da banda, claro que continuei até o final da turnê, não poderia deixá-los na mão. Mas estes problemas até hoje não foram resolvidos. Mas eu me orgulho de ser o vocalista original do AC/DC, talvez é uma das maiores bandas da história do rock, éramos apenas 5 garotos fazendo boa música, e os 5 ainda estão vivos, isto é incrível!

P.G.: Mas você ainda tem algum contato com os membros daquela época?

D.E.: Bom, como todos sabem, Malcolm Young não está muito bem, e teve que deixar a banda, é uma pena para toda a família e também para os fãs. Agora o único membro que está na banda é Angus [Young], ele é meio recluso, eu respeito isso, então não temos muito contato. Mas sou um grande amigo de Malcolm, e espero que se recupere rápido.

P.G.: E você acha que se você estivesse na banda ainda, o AC/DC seria esse enorme sucesso?

D.E.: AC/DC sempre foi um sucesso, desde o começo, tocamos por toda a Austrália, fizemos shows para grandes pessoas, a banda é maior do que qualquer membro, sempre será um sucesso. Veja bem, fizemos sucesso no início, depois Bon Scott entrou e fez um trabalho fantástico, logo em seguida Brian Johnson, e o sucesso continuou. Além dos vocalistas, o AC/DC tem grandes riffs, grandes acordes, que são liderados por Malcolm, a banda vai perder muito com sua saída.

P.G.: Como você deve saber, existem alguns rumores de uma turnê de despedida do AC/DC. Vocês já pensaram em fazer um show juntos, com os dois vocalistas remanescentes. Seria incrível!

D.E.: (risos) Os fãs iriam adorar, claro. Seria um marco histórico. Eu adoraria fazer isso, naturalmente, sou um rockeiro, e Brian [Johnson] também. Nunca conversamos sobre isso, mas os fãs iriam aproveitar, claro. E também temos que chamar Colin Burgess, o baterista original. Ninguém sabe o que vai acontecer no futuro, mas neste momento estou ansioso para tocar com minha banda no Brasil.

P.G.: E por falar na sua carreira solo, o último CD foi ‘Judgement Day’, em 2008. E sobre agora? Podemos esperar um novo álbum em breve?

D.E.: Sim, estou gravando um novo álbum em Dallas-TX, será gravado e mixado esta semana, e se chamará ‘What About Tomorrow’, um disco com 5 faixas, e será lançado muito em breve.

P.G.: Você também participou da banda ‘Rabbit’, mas o que aconteceu com ela?

D.E.: Infelizmente, para muitas bandas a era Disco f***** com tudo (risos), John Travolta, e tudo aquilo. Os lugares colocavam DJs, e não colocavam bandas. Fizemos sucesso, mas quebramos. Tivemos um grande hit, chamado ‘Let Me’, fizemos grandes shows e tudo mais, mas o dinheiro não entrava. Muitas bandas australianas quebraram naquela época, as grandes conseguiram se segurar, mas não tinha espaço para as bandas menores.

P.G.: Sobre seus shows no Brasil, quais músicas os fãs verão no show?

D.E.: Bom, tenho meus dois discos solo, ‘Sinners’ e ‘Judgement Day’, terão várias músicas desses álbuns, e se você gosta de AC/DC, escute este álbum, são estilos parecidos. Tocarei músicas do Rabbit. Claro, as músicas dos primórdios do AC/DC. E grandes canções da era-Bon Scott.

Dave Evans ainda deixou um recado (em vídeo) para todos os fãs brasileiros, confira AQUI!

ATENÇÃO PARA OS INTERESSADOS EM ASSISTIR A ESTE GRANDE SHOW EM SÃO PAULO:

Serviço São Paulo:
Data: 27/09
Local: Gillans ' Inn English Rock Bar
Rua Marquês de Itu, 284 – Centro 
Abertura da Casa: 20h 
Banda de abertura: Red House
Informações: (11) 3129-8710 / 2765-0966 e producao@gillansinn.com.br 
Pontos de venda: Gillans ' Inn English Rock Bar e Galeria do Rock (Aqualung Records)
Ingressos:
Piso Térreo Palco: R$ 70,00 | Piso superior: R$ 50,00 | Camarotes térreo e superiores: Sob Consulta


#VamosMusicalizar
(www.pedrogianelli.blogspot.com.br)


Anterior
Próximo »
0 Comentar